Leia a Bíblia Todos os Dias
"Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim." João 5.39 "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra." 2Tm 3.16,17

quinta-feira, 8 de junho de 2017

QUAL É A TUA GLÓRIA?

QUAL É A TUA GLÓRIA?


TEXTO
“Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o Senhor e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas cousas me agrado, diz o Senhor.”
Jr. 9.23,24.


INTRODUÇÃO.

O Profeta Jeremias estava vivendo em um período de muita turbulência em Judá. Havia um exército que estava marchando para Jerusalém. Este exército, os babilônios, já havia vencido todos os outros reinos circunvizinhos de Judá. O povo estava amedrontado e os chefes de Judá estavam buscando solução em muitos caminhos. Neste interim Deus levanta Jeremias para profetizar em Judá. O seu ministério não foi fácil, pois Deus havia alertado que o povo não o escutaria, contudo deveria falar mesmo assim, pois era o Senhor quem ordenaram. O profeta conclamou ao povo a se humilhar e voltar para o Senhor e confiar em seu braço forte, mas os chefes de Jerusalém estavam confiantes que não seriam derrotados. Eles tinham sábios, homens fortes e muitas riquezas e estavam confiantes nestas coisas, e eram nisto que eles se gloriavam. Seus profetas diziam paz, paz, paz, contudo Jeremias dizia que não havia paz, mas destruição. Os líderes não deram ouvidos e foram derrotados e cativos para a Babilônia.

Há algo importante para ser observado, que é a ousadia de Jeremias ao transmitir a Palavra do Senhor. E neste texto que lemos vamos refletir sobre nossas vidas em que consiste nossa glória. Para os de Judá eram seus profetas, seus sábios, seu ouro, seu exército. Mas para nós em que nos gloriamos?

Mas o primeiro ponto que quero observar neste exto é quem está falando. Por isso, é Importante notar o que diz o profeta Jeremias. Há muitas coisas importantes a serem observadas, mas nenhuma e tão relevante quanto essa: ASSIM DIZ O SENHOR. Não é a palavra de Jeremias, ou de algum sacerdote, ou de outro profeta ou do Rei de Judá, mas quem está dizendo é o Senhor. O Deus todo poderoso. Então esta palavra é digno de todo crédito. De toda aceitação. Ainda que não venhamos a gostar do que está sendo dito ou que tais palavras não nos traga o prazer ou satisfação que almejamos ou pretendíamos, devemos parar e refletir sobre quem está falando. É o Senhor que está falando. Além disso, a Bíblia diz em Jo 8. 47: “quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso, não me dais ouvidos, porque não sois de Deus”. Somente aqueles que estão ligados a Deus é que ouve suas palavras, ainda que elas sejam duras. Portanto, devemos dar credito ao conselho do Senhor. E entender bem uma coisa: Quem está dizendo é o Senhor.

Mas afinal o que o Senhor está dizendo? O Deus todo poderoso está falando, através do profeta Jeremias, em que nós não devamos nos gloriar e em que devemos nos gloriar. O profeta começa com aquilo em que não devemos nos gloriar.

I – NÃO DEVEMOS NOS GLORIAR.

1. Na sabedoria.

A sabedoria é algo louvável e a Bíblia constantemente nos exorta a busca-la. Viver sabiamente e ter conhecimento são imprescindíveis na vida do cristão. Provérbios é um dos livros da Bíblia que mais fala sobre sabedoria. Fala do filho sábio, da mulher sábia, do homem sábio, sobrea agir com sabedoria, etc.

No capítulo 1 de Provérbios fala de “aprender a sabedoria e o ensino”; no capítulo 2 “para fazeres atendo à sabedoria”... cap. 3: “não ser sábio aos próprios olhos”.., cap. 4: “não desampares a sabedoria”; cap. 5: “atender à sabedoria”. E assim por diante temos muitos textos sobre sabedoria. O apóstolo Tiago também fala de sabedoria quando diz: “mostra as boas obras em mansidão e sabedoria”. Toda a Bíblia está repleta de instruções sobre a sabedoria. Devemos ser sábio.

Mesmo com toda essa gama de textos sobre sabedoria é preciso entender que isso não deve ser a nossa glória. Não devemos nos gloriar por temos sabedoria.

Muitas vezes queremos resolver nossos problemas ou os problemas da igreja usando nossa capacidade de saber e de experiência de vida, que é uma das razões que alguém adquire sabedoria. E nessas tentativas frustramos porque nem sempre nossa capacidade é suficiente. Não devemos pôr nossa confiança no que sabemos, em nossa vã sabedoria. Isso aconteceu na época do Profeta Jeremias. Judá estava abarrotada de homens sábios: Escribas, profetas, sacerdotes, doutores da lei, mas tudo isso não os pôde livrar das mãos dos caldeus. Confiaram em sua sabedoria e foram frustrados. Acharam que poderia encontrar alguma solução para um problema tão grave, mas não conseguiram. Que não venhamos nos gloriar em nossa sabedoria.

2. Na força.
Assim como havia homens sábios em Judá, também havia homens fortes. Homens de guerra, treinados para enfrentar batalhas. Contudo também foram frustrados. Um exemplo de homem que confiou unicamente em sua força foi Sansão. Contudo ele se esqueceu de quem lhe havia dado a força.

Em Provérbios está escrito que a “glória dos jovens é a sua força”. A força é também motivada na Bíblia. Encontramos vários textos dizendo sobre a força do exercito, de algum personagem. Há muitas pessoas que se gloria na sua força. Dizem que tudo que conquistou foi através de esforço e pela força do seu braço. E isso é verdade. Contudo não deve ser sua glória. Não deve ser algo para você se exaltar. Não devemos nos gloriar em nossas forças.

3. Nas riquezas.
Assim como existiam pessoas sábias e fortes em Judá, havia também pessoas ricas. As riquezas são algo em qualquer época que as pessoas mais depositam confiança. Ninguém se sente mais confiante do que quando tem riquezas. Havia muitos ricos em Judá, mas seu ouro e sua prata não os pode livrar das mãos dos babilônios e pereceram e se tornaram escravos e cativos em uma terra longínqua. As riquezas não são nem um mal em si mesmas, mas como nos revela Paulo em sua primeira carta a Timóteo: “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males”. Mas não é pecado ser rico. Não é pecado possuir riquezas, mas é pecado confiarmos nela. Ou pior ainda nos gloriar nelas.

A Bíblia também fala de prosperidade. Nos Salmos e Provérbios estão cheios de textos sobre prosperidades. Além disso, vemos muitos exemplos de homens santos que eram muito ricos. Muitas mulheres ricas sustentaram trabalhos missionários na época de Paulo. Contudo as riquezas não devem ser motivos para nos gloriarmos nelas. Muitas pessoas confiam em suas riquezas.

É comum vermos pastores presos a irmãos que são os maiores dizimistas da igreja. Muitos pastores encobertam pecados ou fazem vistas grossas quanto aos escândalos vindos de pessoas ricas, por medo de perder renda financeira. E há pessoas ricas que se aproveitam de suas riquezas para fazer chantagem na igreja. Nossas riquezas foram dadas por Deus. Então, não devemos nos gloriar em sermos ricos.

Mas então, em que nós devemos nos gloriar? Há alguma coisa em o ser humano pode se gloriar? Sim, e o profeta Jeremias, diz categoricamente, em que devemos nos gloriar.

 
II – DEVEMOS NOS GLORIAR.

A Bíblia nos ensina através do profeta Jeremias, na qual fala a palavra do Senhor, em que devemos nos gloriar. É bom lembrarmos que quem fala é o Senhor e não Jeremias.

1. Conhecer a Deus.
Caso nós devamos nos gloriar, devemos fazer isso em conhecer ao Senhor. A nação de Judá tinha o Templo, tinha a Lei, tinha os profetas, tinha os sacerdotes. Tudo isso são meios para, de alguma forma, aprender algo sobre Deus. Mas eles não conheciam a Deus. Parece até impossível isso, mas é a pura verdade. Somente Jeremias conhecia ao Senhor.

Conhecer a Deus é muito mais que conhecer sua palavra. Há muitas pessoas entendidas da Bíblia, conhecem-na de cor e salteado. Mas não conhecem ao Senhor. Vou dar um exemplo do que significa conhecer ao Senhor. “Certo grupo de pessoas foram orar pedindo chuva a Deus. dentre muitas pessoas que foram ao local marcado havia um garoto que levou um guarda-chuva”. Esse garoto conhecia a Deus, pois sabia que ele responde à oração.

Conhecer a Deus é ter intimidade com Deus. Intimidade ao ponto de ser chamado de amigo de Deus, como Abraão, ou como homem segundo o coração de Deus, como foi com Davi. Intimidade com Deus como Moisés que falava abertamente com o Senhor.

Se quisermos algo maravilhoso em nossas vidas devemos conhecer ao Senhor. Deus se revela na sua palavra e em nosso coração. A bíblia diz em Romanos 8.16 que “O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus”. Se formos filhos, devemos conhecer nosso Pai. Devemos ter intimidade com Ele.

Nós abandonamos nossos momentos de devoções. Muitas vezes só adoramos a Deus, a quem nós devemos conhecer, no templo. Mas esquecemos de que são nos momentos as sós com Deus, em nosso quarto, ou em qualquer outro lugar que podemos falar com Deus. Orar a ele com toda a liberdade de falarmos nossas necessidades, nossos anseios, agradecer por tudo.

E esse conhecimento deve ser contínuo, pois o Senhor tem muito a nos revelar, e isso é atestado pelo profeta Oséias: “Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor...”

Outro profeta fala de conhecer ao Senhor, este é Ezequiel: “Assim e me engrandecerei e me santificarei, e me darei a conhecer aos olhos de muitas nações; e saberão que eu sou o Senhor”.
Na nova aliança só podemos conhecer a Deus através de Cristo, ele próprio disse isso, aos seus discípulos: “Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tende visto”. Jo 14.7.
Precisamos conhecer ao Senhor, e nisso podemos nos gloriar.

2. Saber que ele é o Senhor.
Além de conhecer ao Senhor devemos saber que ele é Senhor. O que significa isso? Havia em Judá muitas pessoas entendidas que até sabiam falar sobre Deus. Mas essas pessoas também adoravam outros deuses, falsas divindades. Iam ao templo e ofereciam sacrifícios a Deus e no outro dia iam também oferecer sacrifícios à Baal. Muitas vezes até conhecemos a Deus, mas esquecemos de que ele é Senhor. Temos tantos deuses que adoramos em nossa vida diária. Vocês podem até se assustar quando digo isto, mas é verdade. Muitas vezes não nos damos conta que adoramos outros deuses.

Oferecer culto é prestigiar, com atenção, prazer, assiduidade, amor, afeto, apego. E não é isso que acontece muitas vezes em nossa vida? Estamos apegados com tantas coisas que não nos lembramos de que o Senhor é Senhor.

Nós nos acostumamos a adorar a Deus apenas no templo. Aqui Deus é o Senhor, em nossa casa existem outros deuses: tarefas diárias, programas de TV, Watsapp, amigos, músicas, etc. Tudo isso nos tira a adoração a Deus, quando são postos em primazia. Passamos tempo suficiente fazendo coisas semelhantes, mas não dedicamos em adorar a Deus da mesma forma.
Mas uma coisa o Senhor diz: eu Sou o Senhor e forma de mim não há outro.
Precisamos saber que ele é Senhor sobre nossas vidas. E que devemos amá-lo com todas nas nossas forças e sobre todas as coisas.

Ele é quem domina sobre todas as coisas. Toda a solução está em suas mãos. Não podemos produzir um avivamento. Todos os dias pessoas produzem vitórias, conquistas e avivamentos sobre suas vidas e sobre as vidas de outras pessoas, tudo em vão, são tudo engano. Somente o Senhor pode nos dá vitória, somente o Senhor pode nos dá avivamento. Somente o Senhor pode realizar, conforme sua vontade, o que pedimos. Tudo isso por um motivo só: Ele é Senhor. É Ele que realiza tudo, veja o que Paulo fala aos Filipenses no cap. 2.13: “porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua vontade”. Resta-nos apenas nos dobrarmos diante dele e reconhecer que ele é Senhor.
Precisamos saber que ele é Senhor.

O profeta também expõe alguns motivos porque devemos conhecer e saber que ele é Senhor. Está relacionado ao caráter de Deus.

III – MOTIVOS PARA GLORIAR NO SENHOR.

1. Porque faço misericórdia, Juízo, Justiça.
Temos vários motivos para nos gloriarmos nestas coisas. Mas o profeta aponta três: Deus faz misericórdia, juízo e justiça. Isso é bom. Deus é misericordioso, juiz e justo.

Ele age sempre com sua misericórdia. Misericórdia é compadecer da dor do outro. Ainda que você peque, ofenda, desagrade a Deus e Ele venha a está irado contra você, se você se humilhar e se arrepender ele faz prevalecer sua misericórdia. O salmista diz que “o Senhor é bom e sua misericórdia dura para sempre”.

Outra coisa é que ele executa juízo. Ou seja, ele às vezes também nos castiga, ou castiga quem nos oprime, pois ele é justo juiz. Ele pratica a justiça e não aceita a injustiça.

2. Porque é disso que Deus se agrada.
Se há alguma coisa que devemos para com Deus é agradá-lo. E são essas coisas que o Senhor se agrada: conhecer e saber que ele é Senhor. Nosso desejo venha ser agradá-lo. Não por medo ou por cega obediência às regras, mas por amor em nosso coração.

CONCLUSÃO

Aprendemos neste texto em quem não devemos nos gloriar: na nossa sabedoria, na nossa força e em nossas riquezas. Mas que nossa glória venha a ser em conhecer ao Senhor e saber que ele é Senhor. E não viver como os de Judá confiando em coisas passageiras. Mas em nosso Deus.

APLICAÇÃO

Portanto conclamo a todos a conhecer ao Senhor e saber que ele é o Senhor. Conclamo a todos a buscar e ter intimidade com Deus. A confiar somente nele, pois ele é soberano sobre todas as coisas. Conclamo a não termos outros deuses em nossas vidas, mas somente o Senhor venha ser nosso objeto de Adoração. Ele é o Senhor. Conclamo a todos a gloriar-se nisto somente.





Nenhum comentário:

Postar um comentário