Leia a Bíblia Todos os Dias
"Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim." João 5.39 "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra." 2Tm 3.16,17

segunda-feira, 10 de março de 2014

Sermão Pregado em 16 de fevereiro de 2014.
Por Fernando Batista de Oliveira Souza
Na Congregação da 1ª Igreja Batista, São Félix do Coribe – BA.



TEXTO: I SAMUEL 7.3,4.
3 – Falou Samuel ao toda a casa de Israel, dizendo: Se é de todo o vosso coração que voltais ao Senhor, tirai dentro vós os deuses estranhos e os astarotes, e preparai o vosso coração ao Senhor, e servi a ele só, e ele vos livrará das mãos dos filisteus.
4 – Então, os filhos de Israel tiraram dentre si os baalins e os astarotes e serviram só ao Senhor.

Exórdio:
É certo afirmar que Baal e Astarote não mais existem como objeto de culto literalmente na atualidade, contudo estão presentes na contemporaneidade de forma simbólica. E o pior é que estão presentes no meio do povo de Deus, ou seja, sua igreja. Baal e Astarote eram deuses antigos na palestina que sempre foram empecilhos para que Israel recebesse o cumprimento das promessas do Senhor.  Deus havia dado aos filhos de Abraão a terra de Canaã como herança para ele e seus descendentes. Mas quando tomara posse da terra se envolveram com a religião sincretista dos povos conquistados. Nesta terra existiam muitos deuses, mas nenhum deles encantou os filhos de Jacó como Baal e Astarote. Havia algo nestas falsas divindades que atraía os filhos de Deus. E isto custou muitas derrotas em guerras, muitos fracassos nas plantações, muitos terríveis pestilências, mas mesmo assim Israel parece que não percebia a sua queda.
Portanto, assim como foi para Israel os baalins e as astarotes, a igreja corre o risco também de não gozar de plena comunhão com Deus em Cristo Jesus pelo fato de ainda guardarmos dentro de nosso íntimo os baalins e astarotes modernos. Que a igreja do Senhor possa abandonar os falsos deuses modernos e cultuar somente ao Senhor.

Narração:
O enredo que temos neste texto é muito interessante. Israel havia perdido uma batalha que causou muitos estragos na nação. Nesta guerra morreu Ofni e Finéias, os filhos do sacerdote Eli, que ao saber da morte dos filhos cai da cadeira e quebrou o pescoço. Ainda morreu a nora de Eli ao saber da morte do esposo. Todas essas pessoas eram importantes para Israel. Eles eram os responsáveis pelo culto, contudo não eram sinceros com Deus e o seu povo, mas eram fraudulentos, omissos quanto ao erro e cheios de interesses pessoais.
Em vista destes acontecimentos é relevante ressaltar que a maior causa da derrota de Israel eram seus pecados, principalmente de idolatria, uma desobediência ao primeiro dos dez mandamentos.
Após a derrota os filisteus levaram a Arca da Aliança e foram castigados por isso, com tumores ao ponto de não mais suportar o castigo e devolver a Arca. Mas mesmo assim Israel continuava a pagar tributo aos filisteus.
Diante disso Samuel, o profeta de Deus, reuni o povo e conclama um grande desafio: abandonar os deuses estranhos e cultuar somente ao Senhor. Diante desta resolução de Samuel todo o povo abandonou aos deuses falsos e cultuaram somente ao Deus Vivo, e após esses ocorridos Israel vence os filisteus tornando-se livres da opressão.


TEMA: PREPARANDO O CORAÇÃO PARA SERVIR AO SENHOR.

1. A ATITUDE DA LIDERANÇA. (v.3 p/a)
a) Samuel estava na posição de líder de Israel.
Samuel após a morte de Eli assume a liderança de Israel. É interessante observar que a época de Samuel era uma transição entre a era dos juízes e a monarquia. E Samuel assumiu uma posição de liderança ainda não ocorrida em Israel, ou seja, de tríplice ministério: juiz, profeta e sacerdote. Diferentemente dos outros líderes antecessores que tinha apenas a função de julgar (juiz) ele assume uma posição mais ampla.
  • Juiz - julgar com retidão conforme a lei as questões do povo;
  • Profeta – Ele tinha que falar as palavras do Senhor ao povo de forma destemida. Levar ao povo todo conselho do Senhor.
  • Sacerdote – como sacerdote tinha a responsabilidade de conduzir ao culto, como se fosse um pastor, interceder a Deus pelo povo.
b) E falou o que o povo precisava ouvir;
Samuel não buscou uma oportunidade na morte de Eli, o sacerdote, de bajular ao povo em busca de status, ou cair na graça do povo, mas preocupou-se em falar o que realmente era preciso. Muitos pregadores só pregão o que grande parte do povo quer ouvir: elogios, promessas diversas, etc.
c) Falou a toda casa de Israel.
Falou a todas as pessoas indistintamente. Era necessário que o povo ouvisse sua mensagem. Ele não escolheu uma parcela da elite de Israel, para manter um monopólio, nem as classes subalternas para causar uma revolução. Ele convoca a todos para um grande concerto com Deus.

2. O GRANDE DESAFIO. (v.3p/b)
a) De todo coração (sinceramente);
Samuel põe diante do povo um grande desafio de retornar ao Senhor. E a primeira coisa que ele aponta é para o coração. Este retorno não deveria ser superficial, movido pelo medo, pela emoção, mas com todo o esforço e dedicação. Quando nos aproximamos de Deus deve ser de todo coração e isso envolve alguns aspectos:
  • Não apenas de palavras – não é apenas dizer palavras bonitas que vamos agradar a Deus.
  • Não apenas de formalidade – não é apenas cumprir uma formalidade seja no culto, oração, evangelismo ou qualquer outra situação;
  • Voluntariedade – deve ser algo voluntário, deliberativo, algo que seja nosso desejo.
  • Dentro do mais profundo íntimo – precisa ser algo concreto, não movido pela emoção passageira por algo que Deus nos fez, mas do mais profundo do nosso coração.
b) Voltar, converter.
ILUSTRAÇÃO
Um pregador britânico chamado Jonh Wesley no século XVIII, foi pregar nos Estados Unidos para converter algumas pessoas à Cristo. No caminho de volta, refletindo sobre sua vida, percebeu que ainda não era convertido. Então tomou a firme decisão de se entregar a Deus.

Converter a Deus implica uma atitude transformadora, mudar de um estado para outro. O maior exemplo de transformação que pode ilustrar a conversão é o casulo que se transforma em borboleta. A transformação tem que ser completa. A conversão é uma verdade bíblica pouco pregada nas igrejas hodiernas, tem-se deixado no esquecimento a principal porta para o perdão de Deus. Sem arrependimento não há conversão.
  • Arrependimento – é o sentimento que nos envolve e nos conduz ao entendimento de que erramos com Deus e precisamos dele. Levando a nos confessar ao Senhor e mudar nossa atitude para com ele.
  • O resultado do arrependimento é o perdão – somente um verdadeiro arrependimento, conversão leva-nos ao perdão de Deus.

3. ALGO PRECISA SER TIRADO
ILUSTRAÇÃO
Certo dia uma pessoa foi visitar um amigo  e ao ver que ele estava doente disse:
“Chegou uma "santa" na cidade e se eu fosse você iria até lá e tocaria nela para receber uma graça, quem sabe a cura.”
E ele respondeu: “Eu não vou, pois não creio nisso, somente o Deus verdadeiro que fez o céu e a Terra pode me curar!”
Alguns dias se passaram e novamente fizeram-lhe o convite para que fosse até a "santa" que certamente seria curado.
Mas desta vez resolveu fazer o seguinte, disse que iria, porém antes teria que pegar o seu cachorro e amarrar na varanda de sua casa para cuidar dela até que voltasse.
Então foi e em seguida voltou com um enorme cachorro feito de gesso que enfeitava o seu jardim e fez como havia dito.
Então surpreso o amigo lhe disse: “Não estou entendendo, como esse cachorro pode cuidar da sua casa sendo de gesso?”
E ele respondeu: “Pois é, da mesma forma eu te pergunto como algo feito de barro pelas mãos dos homens poderá me curar?”

Como podemos observar nesta situação o animal de gesso poderia proteger a casa, assim também uma “divindade” feita de barro não tem poder algum para curar ou conceder graça a alguém. O ídolo nada é, como disse o apóstolo Paulo. Não tem vida, não anda, não ver como é relatado no livro dos Salmos. Contudo pode prejudicar quando o tornamos objeto de culto ou algo que substitui o culto a Deus. Por isso Samuel conclama ao povo para tirar os falsos deuses.

a) Tirai dentre vós.
Havia dentro de Israel algo que impedia sua plena consagração ao Senhor. Para que alguma coisa seja posto fora de dentro de nós é preciso compreender algumas verdades:
  • Reflexão profunda de nosso ser;
  • Reconhecer que há algo de errado;
  • Deve ser uma atitude exclusivamente nossa;
  • Deve ser tirado.
b) os deuses estranhos e os astarote;
No caso de Israel o profeta Samuel falou de dois deuses, Baal e Astarote, comuns naquela região que impedia as promessas de Israel. Estes eram as principais divindades, mas existiam outros também que precisavam ser tirados.
c) quais são nossos deuses: autolatria, fama, dinheiro, ídolos.
Quais são os deuses que impedem nossa comunhão com o Senhor? Apesar de não encontrarmos nenhum desses deuses em nossos templos, muitas vezes há outros que nos tira a comunhão com Deus. Há muitos deuses modernos que tem deixado muitos cristãos frios ou apáticos na casa do Senhor.
  • Ego (autolatria) – é o culto do eu (eu sou, eu posso, eu vou, eu preciso) isto tem estado presente até em alguns hinos modernos onde se dizia: Ele é, Ele nos Conquistou, Ele Venceu, foi substituído por eu sou, eu venço. São pequenas coisas que passam despercebidos dentro de nosso meio, que devemos ter cuidado.
  • Fama – não precisamos está na mídia (TV, Internet, etc) para existir um desejo de fama em nosso coração, muitas vezes dentro da própria igreja, o desejo de ser reconhecido acima dos outros e querer o foco das atenções dos irmãos denota fama.
  • Dinheiro – muitas pessoas pensam que quem mais peca em relação ao dinheiro é o rico, mas nem sempre é assim. Muitas pessoas que não tem muito dinheiro vivem em função da busca dele. Mas o certo é dizer que o dinheiro é uma benção enquanto o controlamos, quando ele passa a nos controlar, sejamos ricos ou pobres, ele se torna um deus dentro de nós.
  • Ídolos – não carregamos imagens, nem amuletos de sorte, mas temos muitos ídolos. Tudo aquilo que tira o lugar de Deus em nosso coração é um ídolo e constitui idolatria, e pode ser: filhos, pais, lazer (televisão, internet, jogos), amigos, hábitos. Tudo isso e muitas outras coisas podem ser ídolos em nossas vidas que precisam ser tirados.
4. PREPARANDO PARA O SENHOR.
a) preparar o coração ao Senhor;
Deus não aceita qualquer culto. Hoje estamos vivenciando o culto do entretenimento, onde o culto deve ser mais um momento de lazer e diversão do que adoração a Deus. Estamos muitas vezes longe de agradar a Deus dessa forma, por isso preparar o coração a Deus deve ser algo levado a sério, vejamos alguns exemplos:
  • Moisés no Monte Sinai - ele teve que tirar a sandália, pois o lugar que estava era santo;
  • Israel no Monte Sinai – não devia encostar perto do monte e devia se lavar e lavar suas vestes para apresentar-se diante de Deus.
  • Como o Cristão deve apresentar-se diante de Deus? – com sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.
b) servi somente ao Senhor;
Não terás outros deuses diante de mim. Este é o primeiro dos dez mandamentos. Nosso único objeto de culto deve ser o Senhor. Devemos ter o prazer de servir ao Senhor. Deus não divide sua glória com ninguém.
É importante atentar que Samuel solicita ao povo que adore somente ao Senhor. Pode entender que Israel ainda não havia desviado totalmente do Senhor. É possível que o povo ainda cultuasse a Deus. Mas a questão é: cultuava somente a Deus ou cultuava a Deus e outras divindades? É neste quesito que temos que tomar cuidado. Muitas vezes vamos à reunião com a igreja e acreditamos que estamos adorando a Deus, mas temos muitos deuses dentro de nós. Sendo assim não estamos adorando ao Senhor, pois ele não divide sua glória com ninguém.
c) ele vos livrará das mãos dos filisteus.
Agora é feita uma promessa. Servindo ao Senhor ele livraria Israel das mãos dos filisteus. Os filisteus sempre foi uma grande pedra de tropeço para o povo de Deus. Temos em nossa vida muitas tentações e perigos, mas se formos fieis ao Senhor ele nos livrará de todas.

5. NOSSA ATITUDE FAZ A DIFERENÇA.
a) tiraram dentre de si os falsos deuses
Israel, conforme o texto tirou dentro de si todos os deuses falsos e abandonaram a idolatria. Perceberam que estavam errados e mudaram de atitude.
b) serviram somente ao Senhor.
Passaram a servir unicamente ao Senhor. Esta atitude trouxe muitas bênçãos para o povo de Israel. Eles venceram os filisteus e ficaram livres dos tributos e do medo. Quando passamos a servir ao Senhor temos vitória, não pagamos mais tributos ao pecado e ficamos livres do medo da condenação.

CONCLUSÃO
Podemos compreender neste texto que temos um grande desafio, que algo precisa ser tirado de nosso meio, que nosso coração precisa ser preparado, nossa atitude faz a diferença. O que temos guardado no nosso meio tem prejudicado em nossa comunhão com Deus? Temos nós tirado de nosso meio os baalins e astarotes?

Aplicação:

DESAFIO: Abandonar tudo que nos impede de ter plena comunhão com Deus. Tirar de nossa meio os deuses modernos que sorrateiramente infiltram no meio dos servos de Deus. Servir unicamente ao Senhor.

ORAÇÃO: “Meu Deus que o Senhor nos ajude a abandonar nossos ídolos. Que o Senhor não permita que tenhamos outros deuses em nosso coração. Pedimos a ti que fortaleça nosso coração para servir unicamente ao Senhor”.





Nenhum comentário:

Postar um comentário